Decisão do STF beneficia réu primário em tráfico de drogas